segunda-feira, 30 de abril de 2012

Maratona de BH - Festa Baleias, mas minha prova...

A viagem
.
Foi mais uma bela festa baleias da qual tive a oportunidade de participar, falar do pessoal que veste o manto coral é, para ficar no lugar comum, chover no molhado, mais uma vez fui muito bem recebido em BH, apesar de ter ficado menos de 24hrs na cidade foi tempo suficiente para rir muito, conversar bastante, me aproximar mais dos amigos, eu, que reconheço, sou ainda tímido demais.
Cheguei no sábado por voltas das 18:00hrs, recepcionado pelo Miguel e pela Marinês, foi o tempo de chegar ao hotel deixar a mala e partir para o jantar de massas, achei o restaurante sensacional, simples e serviu uma bela massa, do jeito que eu gosto, quase todo o pessoal da equipe que participaria da prova apareceu por lá e ficamos até às 22:00hrs aproximadamente, conversando, rindo e discutindo as dificuldades da Maratona.
Por volta das 23hrs fui dormir afinal acordaria às 3:45hrs da manhã. 
No domingo às 5hrs da manhã estávamos no ponto de onde sairiam as vans que nos levariam até a largada, muito animação do pessoal, só corredor mesmo prá fazer festa por madrugar de domingo.
Ao final da corrida aguardamos a chegada de todos os baleias, me despedi daqueles que não mais encontraria naquele dia, já que eu somente teria tempo de tomar um banho no hotel, o Tinil me convidou para ir tomar uma cerveja juntamente com o Maia, o Wu e a Zilda, assim fiz, cheguei no bar às 13:00hrs e fiquei até às 14:20hrs após isso me dirigi ao ponto e peguei o ônibus para o aeroporto, feliz por tudo que vivi em BH, de minha chegada até minha volta todos sempre se dirigiam à mim com um sorriso no rosto, com uma brincadeira, enfim, não vou falar em nomes para não esquecer de ninguém, mas na figura do nosso CEO Miguel Delgado, que me parece gostar bastante de tudo isso, rsrsrs, agradeço a todos e sei, nos reencontraremos em breve.
.
A Maratona
.
O domingo amanheceu quente, muito quente, o sol acordou com uma disposição impressionante, momentos antes da largada eu olhava para o céu e imaginava que o clima seria um ingrediente a mais.
A largada foi dada no horário, não haviam muitos corredores e após a separação do pessoal da meia restaria menos gente ainda, saí com tranquilidade, me sentindo bem, focado no meu objetivo, eu estava preparado para alcança-lo, o percurso começou a se mostrar um pouco "preguiçoso", chamo de percurso preguiçoso aquele em que se dá voltas pelo mesmo lugar, ou segue-se por uma única avenida ida e volta, demos duas voltas na cidade administrativa pelo mesmo lugar, completando assim quase 5kms rodando, um pouco chato, interessante que como o feminino largou 20 minutos antes, a turma que iria largar depois teve que abrir para elas passarem para a segunda volta, se a corrida crescer em número de participantes não vai dar certo.
Após isso pegamos uma longa avenida no sentido de BH, até o km. 8 ou 9 tudo tranquilo, aí começaram as subidas, a primeira no km. 11 forte, depois no km. 16 muito forte, eu passei o km. 14 em 1h19mins, dentro do meu plano, mas com o sol forte e a forma como ataquei as subidas, onde acho que errei, confesso que cansei mais rápido do que esperava, passei a meia em 2hrs., alto e comecei a me preocupar, até ali a hidratação foi perfeita, água gelada, gatorade, tudo perfeito, quando separou o pessoal da meia do pessoal Maratona a coisa mudou muito em termos de organização, ficou nítido que acostumada a organizar a Meia o pessoal não soube alongar a mesma organização para a Maratona, minha resistência foi acabando rapidamente e passei o km. 28 em 2h46min., com um atraso de 6mins. eu sabia que meu plano de sub 4hrs. estava derrotado e com muito cansaço e um sol muito forte pensei, pela primeira vez em abandonar, entretanto me animou passarmos pela chegada do pessoal dos 21km, eu que estava no km. 28 encontrei muita gente que completava os 21km´e me senti mais forte, segui, tivemos um novo posto de água no km. 30 ou 31 e depois disso a água demorou demais, acho que pularam um posto e corremos muito tempo sem água, foi a minha impressão, não sei se o sol já estava me afetando as sensações, é possivel, mas muita gente reclamou na chegada dessa falha, sumiram também as placas de km. e perdi a noção de onde estava, a partir ali do km. 28 seguimos uma avenida única em 7km de ida e 7km voltando pelo outro lado, ou seja, percurso preguiçoso e cansativo e estressante, assim, sem placas para se basear, com uma avenida infindável, sol forte, um cansaço enorme (acho que minha preparação foi enganosa porque treinei uma coisa e corri outra), perto de fazer um tempo bem ruim em relação ao que eu esperava, pensei novamente em abandonar, mas eu não tinha ido lá para abandonar e segui a partir do km. 34 ora correndo, ora caminhando, passou por mim a Meire, que parece que é ex-baleias e me deu uma força legal, mas já sem forças não consegui segui-la, minha falta de noção de distância foi tanta que por duas vezes perguntei aos staffs qual distância faltava para o final e assim conclui minha oitava Maratona com meu segundo pior tempo, 4h41min., o pior ainda é SPaulo/2011 com 4h43min.
Terminei um pouco decepcionado comigo mesmo, porque esperava fazer uma corrida bem diferente, talvez eu tenha me supervalorizado, rsrsrs, mas mais fascinado com essa distância, onde tudo pode na hora h representar nada, não é possível não treinar e fazer uma boa Maratona, mas é possível treinar e não fazer uma boa Maratona, assim vou aprendendo, resta de consolo saber que o ano passado comecei com meu pior tempo em Maratonas em SP e acabei em Curitiba a 4 minutos do sub 4hrs., que vou continuar buscando, já pedi ao Miguel para mudar minha inscrição no RJ, ía para a meia agora quero ir para a Maratona, a próxima é SP, onde normalmente sofro muito também, depois RJ, que é novidade para mim, vou treinar com mais garra, mudar o que deu errado e seguir em frente, é isso que quero para minha vida enquanto Deus permitir, e quando Ele não quiser permitir mais ainda vou negociar um bônus com ele, vai que dá....
.
Minha avaliação da Maratona
.
Por ter sido a primeira acho que a Maratona de BH tem muito a melhorar, a medalha foi boa, a camiseta também, mas acho que um percurso mais misto, com mais ruas para tirar o estresse de ir, sei lá, 18km em linha reta por uma avenida e depois 7km de ida e 7km de volta por outra, outro fato a hidratação, após a metade da prova tem que ter mais cuidado com isso, acho que tem que reduzir a distância entre os postos e não aumentar, na chegada tudo um pouco confuso, somente água, o gatorade bem longe, tive que andar um pouco para tomar um copo, só depois de uma meia hora me avisaram que havia maçã, e isso o Toledo que é Baleias e não um staff, o Ésio, Maratonista de Pernambuco, inconformado por não ter nada para comer ao chegar, chamou um staff e questionou, há que se elogiar a boa vontade do rapaz que retornou com uma bandeja de maçãs, me parece que havia uma mesa com frutas, mas ninguém avisou onde, e depois de mais de 4hrs debaixo de sol forte fica difícil pensar, procurar, alguém tem que avisar, tem que estar tudo a vista, a gente não consegue pensar direito, outra coisa, começaram a desmontar tudo antes do tempo máximo de conclusão da prova, teve gente que chegou e já estava tudo sendo posto abaixo, em resumo, tem que ter um pouco mais de carinho com a Maratona, se até o ano passado se organizava uma meia, a partir de agora resolveu se organizar uma Maratona, então o amor e o carinho tem que ser os mesmos, quem tem pressa de ir embora nem precisa vir, não é? Numa Maratona, todos vencem, desde o elite que chega em primeiro ao último amador, que sofreu muito para cruzar aquela linha, se têm 6 horas para concluir, tem que esperar, não pode tirar o tapete, não pode ir desmontando o pórtico, tirando as grades de proteção, não pode liberar o trânsito, como me disseram que aconteceu, ou se tem amor ou não se organiza e pronto.
São alguns acontecimentos que não arranham de forma alguma a iniciativa por se promover uma Maratona, até acredito que foi o melhor que se podia para o momento, que tenha longa vida a Maratona de BH, pretendo voltar outras vezes, desde que a organização mostre amor, mostre carinho por todos, do primeiro ao último a cruzar a linha.
.
Que venha a Maratona de SP, que também tem devido bastante ao Maratonista, e olha que essa já é antiga, vamos ver o que nos prepara a Yescom, é isso aí.  

9 comentários:

elis disse...

estava doida pra ler seu relato, pra saber o que você achou da prova, se tinha curtido a viagem:)

primeiro, parabéns, Walter!
pelo que soube, a Maratona de BH foi bem difícil!
então, todos aqueles que conseguiriam cruzar a linha e chegada desse desafio são guerreiros, dignos de admiração pela sua bravura!

também não gosto desse tipo de percurso que fica dando voltas e mais voltas... e não gosto principalmente desse tipo de tratamento dado ao corredor!
você disse tudo quando falou sobre amor, carinho... tem que ter tudo isso mesmo pra organizar uma prova tão dura, que exige tanto, do primeiro ao último colocado!

vamos torcer pra que os organizadores sanem essas falhas e consigam melhorar a prova, afinal, uma maratona na Sede Mundial Baleias tem que ter a nossa cara;)

agora... a festa Baleias vale a pena, né:)
sinto uma falta danada de vocês, meus amigos tangerinas!
e a pizza do Bolão, gente, é delícia demais!!!! vale uma viagem;)

parabéns, Walter!
certamente aqui no Rio vamos fazer a festa!
eu também era tímida, viu! kkkkkkkk

bjs

walter disse...

Oi Elis, fiquei um pouco chateado pela minha expectativa mas cada maratona uma história, essa foi bem dura mesmo, espero que esses 2 meses passem voando para estarmos juntos novamente. Beijo e boa sorte na K21, você vai detonar.

Lana disse...

Walter querido, não se culpe pelo resultado. Fiquei muito decepcionada e irritada com essa prova. Esperava muito mais da organização. Muitos corredores de BH optam por ficar de fora da Meia dada a dificuldade. Fizeram uma Maratona dentro de uma Meia Maratona. Isso não pode nunca! Foram vários erros. O percurso totalmente inadequado. Onde já se viu correr em ruas em obras? Belo Horizonte tem ruas lindas, largas, arborizadas e foram escolher justamente a Av. dos Andradas, que é uma das mais feias que temos por aqui. Sofri com o calor, sofri com o trânsito liberado para carros e fechado para mim, staffs totalmente descomprometidos, água quente, nada de frutas durante a corrida, falta de marcação dos km na segunda parte. Pra mim foi uma sucessão de erros. Naquele retorno infernal vi corredores experientes caminhando e desanimei por completo. Não digo que não correrei novamente. Mas se fosse em outra cidade dificilmente participaria. Lógico que valeu a festa BALEIAS, valeu a presença dos amigos. Isso conta muito! Bom te ver. Estaremos na Maratona do Rio. Um beijo.

walter disse...

Olá Lana, obrigado pela atenção e carinho com que vc. me recebeu aí em BH. Quanto a prova, de fato, infelizmente foi a pior em termos de organização de que já participei, pode ser que faltou patrocinador, sei lá, mas após a metade da prova senti que fomos abandonados, com pouca água, sem marcação de percurso, em determinados momentos pela primeira vez pensei em desistir, e quanto a essa avenida, fora a feiúra dela que não representa a beleza de BH, o stress de uma reta sem final com um rio no meio não foi legal, parece, guardadas as proporções as horríveis marginais aqui de SP, de percurso feio já basta a meia da minha cidade, rsrsrs. Beijão nos vemos no Rio.

Ricardo Hoffmann disse...

Meu amigo, mandou muito bem nas suas considerações. Fico muito feliz que trocou a meia pela inteira no RJ. Pega leve em SP, para estar inteiraço no RJ. Aqui sairá o sub4, podes crer.
Grande abraço

GILMAR FARIAS disse...

Walter,
Adorei o seu relato. Foi preciso nas críticas. Mas é bom saber que você ama as corridas e isso é o mais importante. Valeu a feste em BH, não foi?
O seu texto me fez lembrar de toda força mental implementada para superar as dificuldades, qua foram muitas. Aquele segundo trecho detonou os corredores.
Entretanto, depois de fazer a Maratona Maurício de Nassau (Recife) em 2010, acho difícil que qualquer coisa me surpreenda em termos de organização de uma prova.

Adorei a sua companhia lá em BH e acho que nos encontraremos lá no RJ.
Grande abraço!
Gilmar (Casado com a ACORJA, mas amante BALEIAS)

BALEIAS disse...

Caro amigo Walter. Primeiro te digo que sua inscrição já foi alterada no Rio de Janeiro pelos queridos amigos da Spiridon que tratam os corredores com muito carinho. Uma pena o que ocorreu em BH. Fizeam somente 21 de prova, o resto largaram para lá. Não fizeram com gosto, não estavam preparados, queriam ir embora, fizemos uma prova com a nítida impressão de estar atrapalhando os organizadores. Fico muito triste com isso pois, afinal, todo belorizontino que corre era, no fim de semana, um anfitrião aos amigos. Confesso que não vejo opção de melhora pois como você sentiu, e eu também, faltou vontade de fazer uma maratona, faltou carinho e respeito com os corredores. Só teve autopromoção e o tiro saiu pela culatra. Vamos ver como fica.

CORRENDO QUE ME ENTENDO disse...

É Walter voce teve tantas dificuldades quanto eu , mas nada como uma Maratona após outra , a vida segue , os treinos se mantem, e vamos encarar as próximas... Um grande abraço

Toledo disse...

Amigo Walter muito preciso o seu relato, concordo em tudo que disse e eu senti que depois de ter feito os 28K até na praça da estação fomos abandonados, fiquei p... meu rendimento caiu demais pois a decepção foi muito grande.
Uma bração amigo.
toledo