segunda-feira, 20 de junho de 2011

Maratona de São Paulo

O tom desse post poderia ser de total tristeza e decepção ou de total alegria e vibração, tanto faz, vivi ontem um misto de sentimentos que somente quem corre Maratonas pode entender.


Começo pelo fim, venci, estou muito feliz, foi meu pior tempo nas cinco Maratonas que corri e foi aquela em que senti o quanto é doce o sabor da vitória.


Por incrível que pareça o sol apareceu neste domingo, depois de tanto frio e tantos treinos no frio, a Maratona seria no sol, e que sol para essa época do ano, quem está em casa não tem a mesma sensação de calor, me lembrei da fórmula 1, a temperatura no asfalto era outra.


Largada as 8:35hrs, bem, disso já sabíamos, a turma do 10k e do 25k junto, também já sabíamos, a ideia éramos correr eu e meu amigo Fernando, juntos, já que treinamos os longos juntos, e assim fomos, no início da prova encontrei com um "Baleias", Ivo Cantor, e mandei abraço ao pessoal da equipe que ainda não conheço pessoalmente, e seguimos nossos caminhos, já no km. 9 o Fernando sentiu uma fisgada na panturrilha e parou no atendimento médico, eu prossegui e tentei manter um bom ritmo na primeira metade da prova, mas cravei 2hrs na meia e vi que não estava bom, perdi 10mins., queria cruzar os 32k abaixo de 3hrs., minha estratégia estava correndo risco, correr Maratona não é o mesmo que correr duas meias.


A partir dos 25k senti muito o cansaço, senti falta de combustível e o corpo pesou muito, a cabeça queria mas o corpo não obedecia, o ritmo caiu vertiginosamente e passei os 32k com 3h18min., um atraso considerável que me abalou e no 33k com ameaça de caimbra andei pela primeira vez, o Fernando me ultrapassou e a partir daí foi um misto de trote e caminhada até o 36k, desisti do relógio e foquei em chegar.


Nos 36k um outro amigo, o Graciano me aguardava para me "puxar" até o final, com o moral baixo e o cansaço físico acentuado me arrastei atrás dele, que posso dizer, foi meu anjo salvador porque eu estava prestes a desistir, o sol castigava e eu tomava um verdadeiro banho de água em cada posto de hidratação, aliás organização impecável, nada faltou, me lembrei da frase do Dean Karnazes que li em algum blog de amigo, se precisar, se arraste, rasteje, mas não desista e foi isso que fiz.


O mergulho no túnel foi o momento mais difícil da corrida, o Graciano, no gás, gritando comigo e eu reagindo, na saída do túnel 38k alcançamos o Fernando e seguimos juntos, senti muitas dores na coxa e panturrilha esquerda, mas o mais grave foi o peito do pé esquerdo que inchou bem, não sei ainda o porque, nunca me aconteceu, quanto mais dores mais eu buscava forças e agradecia a Deus por poder tentar, por mostrar a mim mesmo que eu podia, no 41k o Fernando abriu e seguiu na minha frente, e eu passo a passo, pouco a pouco vi a linha de chegada, mantive o passinho, devagar e sempre e cheguei, 4h43m43s resultado não oficial, foi uma batalha, longe do meu melhor tempo, mas isso não importava.


Me sinto hoje diferente, mais forte, mais confiante, penso que eu poderia ter ficado em casa dormindo, que eu não precisava ter levantado as 5hrs da manhã para treinar, mas eu fiz porque eu tenho uma paixão, eu tenho dentro de mim esse desejo de fazer cada vez mais, eu li outro dia uma frase não se de um humorista que dizia que na Maratona meia dúzia vai para correr o resto para fazer palhaçada, eu tenho certeza que esse cara nunca tentou, eu vi pessoas lutando muito para alcançar seu objetivo, eu vi gente exausta deitada nas calçadas, nos gramados, eu vi gente alongando com o rosto contorcido em dor para tentar prosseguir, eu vi jovens, idosos, mulheres, muitas mulheres, como são fortes nossas mulheres, expressões concentradas, trotanto com dificuldade e seguindo, sonhando com a linha de chegada, eu vi a força interior que possui o ser humano, eu vi na chegada o sorriso de quem tanto sofreu, 2hrs, 3hrs, 4hrs, 5hrs, 6hrs, o sorriso era o mesmo, ontem eu vi tudo isso e muito mais, eu queria que todo mundo uma dia tentasse, nem que fosse uma única vez correr os 42k, eu queria que quem escreveu aquela frase viesse ao menos sentar na arquibancada e assistir a chegada da Maratona, mas que ficasse lá desde a chegada dos elites até o mais humilde amador, ele pediria para que sua frase fosse esquecido, ele reescreveria essa frase, tenho certeza que se todos tentassem uma única vez, a partir daí o mundo seria muito melhor.


Bem, vamos em frente, essa semana é descanso total, estou pensando no que errei, e eu errei muito, vou mudar muita coisa na minha preparação, é certo que fiquei um ano e meio sem correr Maratonas, o ano de 2010 foi somente de contusões, dessa vez não me machuquei, ótimo, mas com medo de me machucar reduzi muito o volume, o que refletiu no meu desempenho ontem, também senti fraqueza muscular, falta da academia, que detesto, mas acho que vou me render a ela, terei nove semanas até Londrina, pretendo chegar lá bem mais fortalecido. É isso aí.

12 comentários:

Ricardo Hoffmann disse...

Parabéns Walter! Completar sempre será o maior objetivo, o resto vem de carona. Bom descanso e curta o gosto da vitória.

satrijoe disse...

Boa Walter.

Continuar quando o mais fácil era desistir é o que faz ficarmos mais fortes.

Não fique se punindo muito por achar que errou na preparação. Era o que vc achou correto naquele momento. O importante é que vc tem a oportunidade para melhorar!

Bom descanso e sucesso em Londrina.

Abs,
Shigueo

walter disse...

Obrigado Hoffmann, de fato chegar deve ser sempre o objetivo. Valeu e até Londrina.

walter disse...

Shigueo, é verdade, prosseguir é o que nos fortalece, eu sempre busco enxergar os erros para não repeti-los, mas aí eu cometo novos erros, rsrssr, é sempre aprendendo.

Xampa disse...

PArabens pela luta e pela conquista.

Julio Cordeiro disse...

Walter,
Parabéns por mais uma conquista.
Estaremos juntos em Londrina para mais um desafio.
Abraços Pernambucanos
Júlio Maratonista Cordeiro

walter disse...

Valeu Xampa, abraço.

walter disse...

Julio, obrigado, nos vemos em Londrina.

Joka disse...

Guerreiro é assim mesmo Walter !!! rsrsrs Parabéns, mais um desafio cumprido, tem maratonas boas, ruins e as pessimas, faz parte...kkkk Eu ja tive todas...kkkkkk Boa semana pq o treino continua, abração e valeu a vibe no meu blog.

BALEIAS disse...

Grande Walter. A MSP é sempre um momento de sofrimento, não tem refresco. Essa prova é danada. Fique firme. É uma pena não nos encontrarmos na festa em Assunção, mas em Londrina nossa alegria será dupla, com a prova e por nos conhecermos pessoalmente. Retribuo o abraço recebido através de Ivo Cantor. Miguel Delgado.

elis disse...

oi, walter!!!

parabéns!!!!
que desafio! e você superou todas as dificuldades e foi em busca de conquistar sua merecida medalha!!!

acompanhei seu treinamento, desde o início, desde antes, aliás, quando você ainda estava se recuperando da lesão!
você é um exemplo de dedicação, disciplina e força!
seu treinamento foi perfeito!

agora, esse elemento surpresa, o sol, deve ter pesado e muito contra!
porque aqui em são paulo, quando faz sol, é de rachar, mesmo!
e a maratona de são paulo maltrata muito os corredores com aquele horário de largada insano!
em 2010 eu também peguei sol, e sofri muito naqueles túneis abafados, e pra piorar, ainda faltou água no último posto de abastecimento!

continua seu treinamento, e você vai ver, em londrina você vai superar suas expectativas;)

me emocionei ao ler aquele parágrafo em que você homageia todos os corredores, os velozes, os mais lentos, os homens, as mulheres que têm a coragem de enfrentar 42 desafiantes quilômetros!
porque terminar uma maratona é algo sublime e grandioso!
e só quem cruza aquela linha de chegada tem a verdadeira dimensão dessa conquista!

mais uma vez, parabéns!!!

bjs
http://elismc.blogspot.com

Joka disse...

Grande Walter me manda seu e-mail por favor, pode mandar no joka162@gmail.com Abraço !!!!!