terça-feira, 30 de agosto de 2011

Maratona de Londrina e minha estreia Baleias

Primeiro Ato
.
Minha estreia como Baleias começou no Aeroporto de Congonhas, deixei sobre um banco o livro “Obras Completas” de Murilo Rubião, um livro de contos sensacional, quem lê Gabriel Garcia Márquez muitas vezes não imagina que ele foi influenciado por esse autor brasileiro, cujo texto transita entre o real e o fantástico, isso na década de 30 e 40.
. .
Sexta Feira
.
Chegamos em Londrina, eu, minha esposa e meu filho às 20:00hrs e o calor me surpreendeu, já imaginava o que seria o final de semana, o taxista me informou que o hotel que reservei era um pouco mais longe da largada, que se daria no Shopping Catuaí, mas que haviam dois hotéis praticamente no mesmo terreno do shopping, não pensei duas vezes e troquei de hotel ficando ao lado da largada, jantamos e fomos dormir, eu já pensando no sábado quando receberia o manto coral das mãos do Miguel e me tornaria mais um integrante desse grupo sensacional.
.
Sábado
.
No sábado pela manhã optamos por passear no centro da cidade e comprar algumas lembranças, pedimos orientação no hotel e pegamos o ônibus, linha 213 para o centro, uma experiência e tanto esse convívio direto com a população da cidade, aqui em SBC não ando de ônibus, faz tempo que não pegava um, foi muito bom, descemos no terminal e caminhamos muito pelo centro da cidade e notei que haviam muitas e muitas subidas. Na volta cometemos uma gafe, tentamos entrar no terminal por onde havíamos saído e a roleta travava, um rapaz nos informou que deveríamos entrar pela esquina, meio perdidos entramos pelo caminho do ônibus e nos dirigimos ao ponto do 213, estranhei quando vi o pessoal entrar no ônibus sem pagar e perguntei a uma jovem ao nosso lado sobre porque não pagavam a volta e ela me informou que entramos pelo lugar errado no terminal, tinha que dar toda a volta, pagar e entrar pela outra roleta e que tivemos sorte da segurança não nos parar, enfim, acabamos voltando sem pagar, falha nossa.
.
Encontrei o Miguel, a quem não conhecia pessoalmente, no shopping juntamente com o Julio Cordeiro e o Paulo de Pernambuco, e conheci outros baleias, o Enio, o Sílvio, o Wu, o Hoffmann, a Meire, a Marines, o Mateus, o Tinil, putz, se esqueci de alguém me desculpe, peguei meu kit e fomos para o hotel onde eles estavam, bem ao lado do meu, quando então recebi meu manto coral, foi uma tarde agradável, chegaram mais baleias do Paraná, que infelizmente agora também não me lembro os nomes, alguns tomando "algumas cervejinhas", concentração né Julio e Tinil? fiquei impressionado que esse pessoal no domingo estava inteiro e correu muito,tiramos muitas fotos, marca registrada baleias e conheci também a Suzi do Projeto 42 asas e ganhei um botom para correr a prova, ao final da tarde fui para o hotel descansar e aguardar o domingão.
.







Domingo
.
Cinco da manhã o relógio me acorda, fiz toda a minha preparação, o café no hotel iniciava-se as 4:30hrs, excelente, cheguei na área da largada por volta das 6:15hrs para assistir o início do feminino, encontrei a turma baleias e o pessoal de Pernambuco, muitas fotos, muita alegria, bate papo descontraído.
.
Ao concluir a Maratona fui recebido com um forte abraço pelo Silvio, ele só podia ser baleias, a alegria dele era contagiante, ainda na adenalina da prova, e pelos gritos dos e das baleias que já haviam chegado, e confesso que não esperava, devo ter passado imagem de arrogante porque juro, pensei que não fosse para mim, na emoção não olhei direito, minha esposa me alertou depois, de fato sou um aprendiz nesse convívio espetacular de se correr em equipe, com uma identificação tão forte como a dessa camisa e ser reconhecido por isso, em Curitiba quero fazer melhor. Chegada do Silvio - esse é baleias
.
Saímos do hotel por volta das 13:00hrs direto para o aeroporto, esse foi meu grave erro, mais abaixo conto o porquê, embarquei muito feliz de volta a São Paulo, foi um final de semana contagiante, que repetirei muitas vezes, quero conhecer todos os baleias, agora sou parte desse mundo, capitaneado pelo Miguel Delgado.
.
A prova
.
O calor era forte já às 7:30hrs, a largada atrasou possivelmente uns 5 ou 10 minutos, nem notei, saí num bom ritmo, mas o mistério do percurso desconhecido me deixou apreensivo, vi o Sílvio correndo mais adiante e passei a segui-lo, o ritmo dele era muito bom, foi uma armadilha para mim, porque eu não sabia se suportaria aquele ritmo, bem mais forte do que aquele que treinei, na primeira ferradura da prova ouvi um grito de apoio, era o Julio Cordeiro que já voltava, enquanto eu ia, essa foi a tônica entre eu e ele, lá pelo quilômetro 15 ou 16 me aproximei bastante do Sílvio e continuei nessa perseguição, acho que ele nem percebeu, passei a meia em 1h50min., me sentindo muito bem, mas o sol era bem forte, certamente acima de 30 graus, havia muita festa com a chegada do pessoal que corria a meia, segui em frente e a partir daí tudo mudou.
.
O percurso passou a ser uma seqüência, para mim, interminável de subidas, a cada curva uma subida e aquilo foi minando minhas forças, meu objetivo era correr a segunda metade em 2hrs e fechar em 3h50m batendo meu recorde pessoal, para isso eu teria que passar no Km 33 em 3h cravadas, mas eu sentia a cada passo que as forças estavam acabando, o Sílvio desapareceu do meu campo de visão, com aproximadamente 300 corredores na prova masculina passei a sentir uma certa solidão, um corredor bem a frente, outro bem atrás, acostumado que estou a provas com muita gente, estranhei bastante e embora eu treine sozinho, na corrida me fez falta a companhia de outros companheiros correndo comigo; passei o km 30 com 2h50mins, vi que não dava mais e passei o km 33 com 3h08min, entre o km 30 e o km 33 encontrei a parte mais difícil para mim, outra ferradura, desta feita enorme, uma boa descida na ida, mas a volta foi inclemente, uma subida que me castigou demais, mais uma vez cruzei com o Julio Cordeiro, que só vi porque ele gritou e com o Sílvio, eles subindo, eu descendo, depois inverteu, eu subia e quem descia era o Wu e o Ênio e mais atrás o Hoffmann.
.
Eu tinha 9 kms para percorrer em 42mins., em condições normais daria, não ali, naquele percurso duríssimo, porque as subidas não acabaram aí, muitas outras vieram e minaram de vez minhas forças, paguei o preço de fugir do meu padrão de início de prova, e por volta do 36 ou 37 km tive que caminhar um pouco para tirar a pressão na panturrilha, que já reclamava muito. Interessante meu diálogo interior, em determinada altura quando vi mais uma subida, pensei, não isso é desumano, vou parar e imediatamente outro pensamento, você veio aqui para isso, trata de seguir em frente, rsrsrsrs, era uma luta interna, meio louco, só quem corre longas distâncias entende isso, enfim é claro que prossegui.
.
Busquei ainda fechar em 4hrs cravadas, mas os últimos quilômetros não passavam na velocidade que eu desejava, quando passei a placa de 40km meu relógio cravava as 4hrs., média de 10kms por hora, aí relaxei e fiz bem porque ainda havia o tiro de misericórdia, após o km 41 outra ferradura e mais uma subida para entrar no shopping, todos os corredores, sem exceção, embora não fossem muitos, caminhavam naquela última e nocauteadora subida, comigo não foi diferente, andei um pouco mais, percebi que estava acabando, caí na real, eu era baleias, e como me disseram no meio do percurso, - vai baleias! baleias não desiste! ou então: - isso aqui é Maratona ou mar? só dá baleias! ou ainda: - que baleia bonitinha, vou tirar uma foto para mim, essa eu ri, é claro que ela falava da baleia da camiseta, rsrsrsrs, minha esposa me disse que tem certeza que sim, rsrsrsrsrs, pois bem caí na real, voltei a correr, abri um largo sorriso e cruzei emocionado a linha de chegada, o relógio cravou 4h16m, média de 6m04s/km; é interessante porque voltando ao relato dos meus treinos longos preparativos para essa maratona, em todos eu corri por volta dessa velocidade, e num dos relatos projetei a maratona entre 4h15m e 4h17m, não era o que eu queria mas bateu a projeção.
Fiquei muito, mas muito satisfeito, não me machuquei, não tive qualquer problema, que não caminhar um pouco por erro de estratégia (o Sílvio me quebrou, rsrsrsss), nenhuma dor, hoje já me sinto bem, foi minha sexta Maratona e tenho certeza de que aprendi um pouco mais, a maior certeza entretanto é que ainda não sei correr Maratonas, preciso de muitas outras para aprender, se é que se aprende tudo sobre elas, a cada percurso, a cada cidade, a cada temperatura diferente tudo muda, a Maratona é uma prova fascinante.
.
Infelizmente não pude esperar os amigos, não vi o pessoal chegar, tinha que sair do hotel até às 12:00hrs e ir embora, cometi um erro grosseiro, não participei da confraternização no domingo a tarde, mas ficou o aprendizado, peço desculpas a meu capitão e CEO Miguel Delgado e digo que para Curitiba vou embora somente na segunda feira, rsrsrsrs.
.
Sobre o percurso e a organização
.
Falo aqui do meu ponto de vista pessoal, a organização da prova foi impecável, a melhor hidratação dentre as Maratonas que participei, muita água bem gelada, vários postos com gatorade e coca cola, aliás foi a primeira vez que tomei coca cola numa Maratona, passei num posto e o rapaz gritou gatorade ou coca cola? Respondi, os dois, rsrsrsrsrs, e levei os dois e ainda um copo de água na seqüência, gel de carboidrato, não sei se em dois ou três postos, não peguei porque havia levado o meu, azeitona também, essa eu não peguei, nunca testei não quis arriscar, uma moradora com um providencial banho de mangueira, aquilo foi maravilhoso, quase que fico por ali mesmo; o apoio da população também foi bacana, nos cruzamentos, ao menos quando passei, os motoristas aguardavam pacientemente, sem businar (Curitiba vamos aprender com Londrina, rsrsrs), somente na rodovia haviam buzinas, mas aí acho que são viajantes, não moradores locais. Vi somente um caso em que uma senhora desceu, retirou o cone da rua e o motorista avançou com o carro, imediatamente o policial apitou, passei na hora em que o policial dizia: - agora você vai esperar aqui, e a senhora retrucou, - nós damos ré novamente, e o policial: - não minha senhora, vocês vão esperar aqui todo mundo passar; e eu pensei: - é, acho melhor esperar porque o homem não está brincando, rsrsrs, gostei da atitude dele, podia ter sido eu o atropelado pois era quem passava ali naquele momento, rsrsrrs, na chegada salada de frutas a vontade, bolacha salgada, água, gatorade, massagem e uma bela medalha.
.
Quanto ao percurso, acho que maratonista não deve reclamar de subidas, eu procuro não fazer, como sugestão acredito que a última subida, já no km 41 para entrar no shopping podia ser repensada e ao meu ver a maior falha foi correr dentro do estacionamento no sub solo, você vem num sol fortíssimo, desce e mergulha na escuridão, lá dentro alguns cones marcam o caminho a seguir, eu que já sou meio cegueta sem óculos, sozinho, fiquei meio perdido, o piso lá não é adequado e a descida é feita para segurar os pneus dos carros, não para correr, a saída de lá também é ruim porque aí volta aquela claridade imensa, então acho que dá para repensar esse final, imagino um corredor de elite correndo lá dentro, não ficou legal.
De resto, fim de semana perfeito, agora é descansar e treinar para Curitiba, antes vou correr a primeira Meia de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, eu e o manto coral obviamente.

13 comentários:

BALEIAS disse...

Walter, como foi sua estreia no mundo Baleias resolvi iniciar esse comentário de um jeito comedido e prudente, como é meu normal. EU TE AMO. Você é muito Baleias e foi uma grata satisfação conhecer você e sua família. Iremos longe e na sua companhia será tudo muito mais completo. A Comrades, o Brasil, o mundo e nossos amigos nos esperam. Obrigado por nos escolher como parceiros. Miguel Delgado.

irmascordeiro disse...

Walter, que bela estreia como Baleias. Ser Baleias é algo muito especial mesmo!
Parabéns pela corrida e pelo ótimo relato.
Um abraço.
Mônica Cordeiro/Baleias-Tabira-PE

elis disse...

walter!!!

que relato Baleias!!!
lindo, emocionante!!!

tô muito feliz de dividir as alegrias e conquistas de nosso manto coral com você, um corredor que sempre admirei!

fiquei doida pra ler aquele livro que você deixou no aeroporto!!!!
tomara que um dia eu ainda o encontre em alguma sala de embarque;)

ficar num hotel próximo à largada é a melhor coisa a fazer! muito prático, muito fácil, e sem correrias antes da largada da prova rsssssss

esse encontro com a turma toda no sábado é uma festa!
algazarra, conversê sem fim, e haja hidratação com água de coco, hein! kkkkkkkkkkkkkkkk

se prepara, que quando a gente corre com o manto coral, "cada mergulho é um flash!" kkkkkkkkkkkk
e é muita vibração na chegada!

infelizmente nem sempre a gente consegue ficar pra comemoração pós-maratona! nem sempre dá;) mas o importante é a gente aproveitar muito o tempo que vai passar lá com a turma toda;)

acho difícil traçar uma estratégia de tempo pra algumas provas... principalmente quando eu quero melhorar meu tempo rsssssss
é que fica sempre a briga entre o tempo que eu gostaria de fazer e o tempo que realmente sou capaz de correr rssssss
vocês se saíram muito bem em londrina!
é como você disse, cada maratona tem suas particularidades...
e não dá mesmo pra ficar reclamando das subidas rsssss
só tem que estar preparado pra aceitar que em percursos mais desafiadores o ritmo cai, e às vezes cai muito rsssss

parabéns por mais um desafio, por mais uma conquista!
seja bem-vindo ao mundo coral, de riso farto e desafios a perder de vista;)

vamos celebrar muito lá me curitiba!

bjs
http://elismc.blogspot.com

Xampa disse...

Walter,
parabésn pela prova, pelo relato e pela viagem.
Baleia neles !!!

Ricardo Hoffmann disse...

Walter, você estreiou com galhardia. Primoroso o relato. Parabéns!! Reitero os votos de boas vindas, e é isso ai, a volta é sempre na segunda, quando não dá, no domingo a noite. Grande abraço.

Silvio disse...

Amigo Walter,
sou imensamente grato á providência Divina por ter me concedido o privilégio de conhecer você e sua família aqui em minha querida pequena Londres. Agora somos Baleias.
Grande abraço.
Silvio
Londrina/pr

Silvio disse...

Walter,
vou falar com o prefeito para que seja decretado na maratona de 2012:
"BALEIAS" NÃO PRECISA PAGAR PASSAGEM DE ÔNIBUS. E QUEM PAGOU SERÁ RESTITUÍDO.
A última vez que tentei não pagar passagem quase fui preso. (rsrs)
Silvio

Fábio disse...

wALTER

Parabéns pela maratona!!!!

Fábio
www.42afrente@blogspot.com

Meire/Baleias disse...

Walter querido.... É sempre tudo tão corrido mas tão gostoso que as vezes esquecemos de aproveitar mais o bate papo com os amigos.... Curitiba será pequena prá tantos baleias. Como diz Elis cada mergulho é um flash... Parabéns pela conquista.... Lembre sempre que são 42.195km com ou sem morro, temos mesmo é que completar e agradecer a papai do ceu por nos permitir tanta felicidade....

Bjks

Meire/Baleias - BH/MG

Julio Cordeiro disse...

Walter,
Valeu pela maratona e também pela estreia com o manto Baleias.
Em Curitiba vc vai estrear a água de côco pré prova rsrsrs
Abraços Pernambucanos
Júlio Maratonista Cordeiro

Mari Baleias Recife disse...

Aê Walter, Londrina com sua bela organização e difíceis ladeiras veio para ficar, você também, amizade , alegria e companheirismo fazem parte da missão do bando não se assuste, delicie-se nas ondas Baleienses e seja feliz.

Abraços corais........
Mari Melo

satrijoe disse...

Boa Walter.

Senti que vc incorporou mesmo o estilo baleia hein! Primeira vez que vc várias fotos tuas sorrindo! Pelo visto a prova judiou dos corredores com as suas subidas no final. Mesmo assim, bastante elogiada né?

Parabéns pela prova e pelo relato!

Abs, Shigueo

marli disse...

Olá Walter,
Muito bom seu relato, e parabéns por extrear com o manto coral, eita essa equipe vai dominar o mundo...
Que venha as próximas corridas e os próximos encontros...
Simbora correr...
Bons treinos,
Boas enrgias,
www.marlipalugan.blogspot.com
@marlipalugan